quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009




Quando faço amor
Sou vadia
Sou menina
Sou mulher
Sou fêmea
Em meu momento de paixão
Misturo sussurros
com palavrões
Grito
Sou Loba
Faminta
Serpente
Sou puro desejo
despedaço as roupas
as suas e as minhas
Faço festa
celebro a comunhão humana
Sou mulher.

Autor desconhecido.

2 comentários:

tossan disse...

Assustei meus medos:
quando disse que os enfrentaria,
eles ficaram com medo!
Então amei sem medo de mim! Bj

Luiz Caio disse...

Oi Naila! Como vai?

Diante do amor... Do fazer amor!
Não há adjetivos que sejam pejorativos. Neste momento, toda palavra é poesia!

Adorei os selos viu? Obrigado!

TENHA UMA LINDA TARDE!
BEIJOS.