sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009


Ave que mora em mim
Invejo as aves que voam na imensidão,
incansáveis vão e vêm, livres, vivem a viajarnas alturas.
Sonho ser uma delas, ver o mundo lá do alto,
sem cansar, sem parar, ir além, além, muito alémdo mar.
Subir próxima ao céu,tocar as nuvens que vestem carneiros,
pegar estrelas,falar com a lua, cara a cara,olho no olho, sem cansar...
Marta Peres

4 comentários:

Amiga do Cafa disse...

Bom gosto e sensibilidade para escolher as poesias e as fotos.
Bj

Sonia Schmorantz disse...

Quanta sensibilidade e sentimento, adorei este poema.
beijo e lindo final de semana

Luiz Caio disse...

Oi Naila! Como vai?

O homem tem dois antigos sonhos que, de verdade mesmo, ainda não realizou... Voar, e ser feliz!

TENHA UM ÓTIMO DOMINGO!
BEIJOS.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Gostei muito do teu blogger.
Ah! Tempo!
Nunca quis voltar em ti.
Apenas espero que me devolvas
os sentimentos que vivi.
Não deixes que meu sorriso
se perca pelo cansaço
e que minha voz
se cale por um fracasso.
Não deixes que meus caminhos
se desviem da meta
nem que os percalços
sejam maiores que minha força
para que eu siga esta reta.

Passei neste lindo espaço para te desejar uma linda semana
Abraços